As empresas até colaboram com a educação, mas precisam continuar educando as pessoas, educando seus funcionários

Incrível mesmo é a capacidade do ser humano. As pessoas são educadas segundo seus princípios, âmbito religioso ou não, e entre os familiares e a sociedade ele constrói sua vida. Sonha com uma faculdade, trabalha para ter condições de realizar seus sonhos.

Antes mesmo de concluir a faculdade já pensa em um novo emprego, em uma especialização e continuam os sonhos, um carro novo, casamento, casa própria, filhos.

Engraçado mesmo é que o ser humano é cheio de surpresas. A cada instante somos surpreendidos com suas ações, gestos e comportamentos.

Incrível mesmo é a incapacidade do ser humano. Justifico: Busca tanto por formação, aperfeiçoamento, qualificações, especializações, e tudo mais, mas se esquece de algumas coisas básicas.

O ser humano em determinado momento de sua trajetória como ser vivente deixa de executar ações básicas. Em sua casa, deixa de respeitar os familiares, deixa visitar os pais e irmãos, deixa de perdoar.

Com os amigos, deixa de ser amigo, deixa de ser confiável, deixa de ser fiel. No trânsito, deixa de respeitar os pedestres, deixa de respeitar o direito a vida, deixa de usar a seta para fazer as curvas, deixar de olhar para os lados, deixa de prestar atenção. No trabalho, deixa de ser “aquele que sempre foi”, deixa de ser companheiro, deixa de ajudar os colegas e de ser exemplo para os demais, deixa de lado sua humildade e toda educação que recebeu dos seus pais.

E agora, no auge de sua carreira profissional, quem deixou que ele chegasse até aí? Como administrar esses funcionários? Para que, tanta evolução dessa espécie se ao ponto em que evolui, também regride?

As empresas até colaboram com a educação, mas precisam continuar educando as pessoas, educando seus funcionários, pelo menos tentar. Assim como os pais criam seus filhos para o mundo, segundo o ditado popular, as empresas os capacitam para o mundo, os educam ou não para o mundo.

Arriscaria a dizer, sem medo de errar, que muitas empresas não sabem educar seus funcionários.

Você como líder ou não, dependendo do papel que ocupa na empresa, tem contribuído para a educação de seus subordinados? Fazemos isso a todo o momento quando pedimos para que os subordinados sigam as regras da empresa, que cumpram com sua obrigação e ainda dizem que não tem a função de educar. Será que entendem o conceito?

Forte abraço e boa semana.

 

* Luciano Muchiotti – Psicólogo, Pós-Graduado em Liderança e Gestão de Talentos Humanos e Técnico de Segurança do Trabalho.

Fonte: www.contratado.com.br

Anúncios