A rotatividade de pessoal nas organizações como um todo traz inúmeras conseqüências que muitas vezes temos dificuldade de entender e encontrar soluções. As consequencias de um problema podem ser de difícil solução na medida em que a empresa desconhece as suas causas ou não investe firmemente na solução, tomando as medidas preventivas e corretivas de forma adequada. Quando a relação de emprego não perdura alguma coisa está errada. A rotatividade de pessoal resulta de insatisfação motivada pelo empregador ou pelo empregado. Quando a insatisfação advém do empregador é porque o empregado não corresponde as expectativas que motivaram a sua contratação. Geralmente quando a insatisfação provém do empregado é porque seu empregador não cumpre as promessas e propósitos anunciados antes de contratar e durante a relação de emprego.

O sucesso da relação de emprego depende do adequado e eficiente processo de seleção, da postura do empregador e da conduta do empregado durante a vigência do contrato de trabalho. Falhas no processo de recrutamento e seleção refletem diretamente no desempenho da função e comprometem os resultados. O processo seletivo pode falhar sob vários aspectos; desde problemas de saúde até inaptidão do candidato para a função. Do ponto de vista operacional o afastamento do empregado por motivo de doença tem efeitos iguais à sua demissão. Pior ainda, dependendo do motivo de afastamento a empresa poderá ter que arcar com os custos do empregado afastado e de seu substituto. Seja qual for o motivo, o afastamento do empregado causa sérios prejuízos à organização; primeiro vem a redução de produção de bens ou serviços com consequente redução da qualidade desta produção; depois vem os problemas de desestruturação da equipe e, por último, o aumento dos custos rescisórios encarecendo os produtos e serviços comercializados, resultando na redução do volume de vendas e da margem de lucro da organização.

Recursos humanos constituem o item mais sensível de um empreendimento. Portanto, cuidar bem de seu pessoal é uma ótima estratégia para qualquer empregador. Frisa-se que agir de forma organizada e impor exigências dentro dos padrões administrativos não contribui para o aumento da rotatividade de pessoal. Pelo contrário, quanto mais o empregado é exigido do ponto de vista administrativo mais ele aprende, cresce e se apega ao empreendimento. A forma adotada para anunciar as exigências, normas e procedimentos que os empregados devem cumprir faz muita diferença. Recomenda-se aferir o conjunto de exigências, normas e procedimentos tanto do ponto de vista jurídico quanto administrativo antes de sua implantação. Exigências ilegais ou sem fundamento administrativo causam insatisfação e aborrecimento aos usuários e podem resultar em ação judicial contra a empresa.

Dentre os quesitos para contratação, o comprometimento do empregado com os objetivos da organização deve ser prioridade. O empregado deve estar sintonizado com os anseios da empresa e adotar a cultura de parceria para juntos promoverem a construção de resultados e realização de sonhos e objetivos, e assim agregar ao seu vínculo empregatício uma relação salutar e duradoura.

Autor: João Batista de Oliveira