Com a reaplicação de financiamentos antigos, o FAT vai destinar neste ano R$ 7,7 bilhões que serão disponibilizados em diversos programas

Katia Paiva

Brasília – O Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat) aprovou um investimento de R$ 3,5 bilhões para programas de geração de emprego e renda em 2011. Do novo recurso, R$ 2,6 bilhões serão destinados a programas como o Proger Urbano, FAT Fomentar e FAT Infraestrutura, que beneficiam diretamente os micro e pequenos empreendedores e incentivam a geração de empregos.

Somando os R$ 3,5 bilhões às reaplicações dos financiamentos antigos, serão disponibilizados R$ 7,7 bilhões nos vários programas do FAT neste ano.

Os recursos vão fomentar a criação de novos postos de trabalho e a modernização de micro e pequenos negócios em setores produtivos, como comércio e turismo. O destaque ficou pela manutenção das linhas de crédito, FAT Taxista (R$ 100 milhões) e FAT Moto-Frete (R$ 100 milhões).

O Codefat aprovou ainda a aplicação de R$ 220 milhões em inovação tecnológica. Os ministros da Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante, e do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi, defendem a aplicação de parte do recurso em inovação e tecnologia. “É equivocada a concepção de que inovação tecnológica não gera emprego. Não há como haver crescimento sem inovação”, afirma Mercadante.

“Defendo que as empresas precisam apostar na inovação tecnológica e que essa inovação não vai cortar e sim incrementar postos de trabalho”, avalia Lupi.

Em 2011, R$ 13,4 bilhões do orçamento do FAT estão destinados a políticas desenvolvidas pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico Social (BNDES). O restante vai financiar o pagamento de benefícios, a qualificação profissional de trabalhadores e a geração de emprego e renda por meio dos programas voltados principalmente aos setores estratégicos como transporte coletivo de massa, infra-estrutura turística e obras de infra-estrutura voltadas para a melhoria da competitividade do país e projetos de inovação tecnológica por meio da Finep.

Em relação ao mesmo período do ano passado, as despesas do FAT apresentaram crescimento de 36,88%, passando de R$ 1,476 bilhão em janeiro de 2010 para R$ 2,020 bilhões em janeiro deste ano.

Fonte: SEBRAE