A economia do Brasil já começou uma desaceleração, afirmou hoje o ministro da Fazenda, Guido Mantega, em teleconferência antes da reunião do G-20 (grupo das 20 maiores economias do mundo), marcada para esta semana. Segundo ele, o crescimento do País deve desacelerar para cerca de 4,5% e 5% em 2011, ante 7,5% em 2010.

Mantega admitiu que a inflação estava numa trajetória acima das metas oficiais por causa do aumento dos preços dos alimentos, mas disse que ela já mostra sinais de desaceleração. A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) acelerou para 5,99% nos 12 meses até janeiro, bem acima do centro da meta de inflação oficial anual, de 4,5%.

O ministro afirmou que o governo do Brasil está praticando a política econômica contracíclica e que pode ajudar a reduzir o excesso de demanda na economia por meio dos cortes no Orçamento. Na semana passada, o governo prometeu cortar pelo menos R$ 50 bilhões no Orçamento de 2011, em seu esforço para conter a inflação.

Mantega destacou que as taxas de juros no Brasil, incluindo as de longo prazo, já começaram a subir, em resposta às expectativas de inflação mais alta, e que o Banco Central está respondendo a esta situação. Em janeiro, o BC elevou a Selic (a taxa básica de juros da economia) em 0,50 ponto porcentual, para 11,25% ao ano. O ministro disse ainda que levará as preocupações com os preços das commodities ao encontro do G-20.

Fonte: Diário do Comércio

Anúncios